Logo

(11) 2614-4896

Abertura de Empresa| Atividades de Serviços

 
Para melhor atender aos nossos clientes, a Planconsul Contabilidade se tornou um Escritório de Contabilidade especializado no atendimento a empresas Setor de Prestação de Serviços, Empresas Comerciais e Indústrias de Pequeno e Médio Porte. E dentre estes segmentos mencionados, o setor de Serviços, tem sido a área de maior atuação do nosso escritório e nesse sentido, por essa razão, temos conseguido oferecer preços e condições mais acessíveis aos nossos clientes, seja na constituição da empresa ou na assessoria mensal. Veja abaixo algumas das atividades do Setor de Serviços e solicite o seu orçamento:
  • Consultorias e Assessorias
  • Advogados
  • Arquitetos
  • Engenheiros
  • Empresas de TI
  • Corretores de Seguros
  • Corretores de Imóveis
  • Escolas de Ensino de Idiomas
  • Profissionais com Contratos PJ em outras Empresas
  • Psicólogos
  • Agências de Marketing
  • Agências de Viagens e Turismo
  • Representantes Comerciais
  • Chefs de Cozinha
  • Personal Trainer
  • Síndicos Profissionais
  • Administração de Condomínios
  • Locação de Máquinas e Equipamentos
  • Serviços de Manutenção em Geral
  • Outra atividade de prestação de serviços que não envolva operação com mercadoria.
Uma empresa de prestação de serviços, ou de qualquer outro segmento, pode ter os mais diversos tipos jurídicos como seguem abaixo e isso não interfere na forma de tributação da empresa. Ou seja, você pode abrir uma empresa individual ou sociedade e pode optar pelo Lucro Presumido, Simples Nacional ou Lucro Real. Veja abaixo as diferenças entre os principais tipos jurídicos de empresas mais atuantes no Brasil:
  • Empresário individual: formada apenas pelo próprio empresário e nesse tipo jurídico, o patrimônio do empresário se confunde com o patrimônio da pessoa jurídica. Ou seja, não há proteção para o empresário por que não tem limitação de Capital Social.
  • Empresário individual limitada EIRELI: formada apenas pelo próprio empresário, aqui chamado de "titular" e a grande diferença é que existe uma proteção quanto ao patrimônio do titular por que tem uma limitação até o valor do Capital Social. De forma bastante direta, esse tipo jurídico foi criado para "legalizar" as sociedades empresárias limitadas fictícias, ou seja, aquelas empresas que colocava 1% para um sócio apenas para constar o quadro societário e que na verdade a empresa era apenas de um sócio em sua essência. Só é preciso estar atento por que para esse tipo jurídico, o titular tem que registrar um Capital Social de 100 vezes o valor do salário mínimo vigente.
  • Sociedade empresária limitada: formada por 2 ou mais sócios, cuja responsabilidade de cada um está limitada ao valor da sua particiapação no Capital Social da empresa.
  • Sociedade anônima: também chamada de companhia ou sociedade por ações, é nome dado a uma empresa com fins lucrativos que tem seu capital dividido em ações e a responsabilidade de seus sócios (acionistas) limitada ao preço da emissão das ações subscritas (lançadas para aumento de capital) ou adquiridas. Os sócios são chamados de acionistas e têm responsabilidade limitada ao preço das ações adquiridas. A companhia pode ser de dois tipos:

Capital Aberto: quando as ações são negociadas em bolsa

Capital Fechado: quando as ações não são negociadas em bolsa

 

Após definir o tipo jurídico, será preciso definir o Regime de Tributação da sua empresa, ou seja, a forma de apuração de tributos, que uma vez definida no início de cada ano, será irrevogável por todo o ano, podendo ser alterado somente no ano seguinte. Veja abaixo os tipos jurídicos existentes no Brasil:

 

Simples Nacional: é uma forma de tributação aplicada sobre a receita bruta da empresa e todos os tributos da empresa são apurados em uma única guia, exceto o FGTS e algumas outras particularidades que ocorrem em determinadas atividades.  O regime do Simples Nacional, desde que seja feita uma análise de forma correta, normalmente traz bastante vantagens para as empresas que podem optar por essa forma de tributação. Atualmente, diversas atividades podem ser enquadradas no Simples Nacional, porém, é preciso tomar cuidado por que existem faixas de tributação com elevação da carga tributária de acordo com a receita bruta acumulada em 12 meses.

 

Lucro Presumido: é uma forma de tributação aplicada sobre a receita bruta da empresa que tem percentual fixo, independentemente da receita bruta acumulada. Apenas existem percentuais diferentes para atividades de prestação de serviços e para comércio, indústria e outras atividades. Qualquer empresa pode optar pelo Lucro Presumido, desde que não esteja obrigada a tributação pelo Lucro Real, ou seja, instituições financieras e empresas com receita bruta superior a 78.000.000,00.

 

Lucro Real: é uma forma de tributação com alíquotas fixas de Imposto de renda e Contribuição Social aplicadas sobre o lucro da empresa, sendo que demais tributos como ISS, Pis, Cofins, estes são normalmente apurados com base na Receita Bruta da empresa, porém, o Pis e Cofins são compensados pelos créditos dos mesmos tributos apurados nas aquisições de insumos permitidos por lei. É sem dúvida um regme de tributação mais complexo que os demais e exige muito controle e disciplina, porém, quando bem aplicado, pode trazer excelente economia para a empresa, mesmo considerando que os custos com a assessoria contábil e fiscal para a sua manutenção, sejam notadamente mais elevados. 

 

Independentemente do tipo jurídico da sua empresa, conforme explicado acima, o que vai ser determinante na hora de escolher o regime de tributação da sua empresa, se vai ser Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real, será a análise dos pontos abaixo:

  • Qual a atividade de serviços que irá desenvolver?
  • Terá empregados? Qual o valor médio da Folha de Pagamento?
  • Qual o valor que irá atribuir ao seu pró-labore para fins de recolhimento do INSS?

Com esses fatores acima será possível identificar se será melhor Lucro Presumido ou Simples Nacional.

Agora, dependendo do porte da empresa, também pode acontecer de ocorrer muitos desembolsos e pouca receita no início das atividades e isso certamente levará a arcar com prejuízos ao longo do exercício e nesse caso, se faz necessário uma análise mais apurada para ver se o Lucro Real pode ser uma boa alternativa. Para isso, além dos fatores acima, será preciso estimar também:

  • Valor médio de receita mensal ou trimestral?
  • Valor médio de custos e despesas de forma detalhada (será preciso avaliar quais despesas poderão oferecer crédito de PIS e COFINS)

Por fim, com esse conjunto de fatores, se a sua empresa operar com prejuízo, não pagará IRPJ e CSLL. E ainda, se as despesas forem excesivamente elevadas em relação à receita, poderá diminuir substancialmente o pagamento de PIS e COFINS. 

Mas é importante ressaltar que tudo dependerá de uma análise baseada em projeções sobre a operação da empresa.

 

"Abra a sua empresa de prestação de serviços com condições especiais"

 

*Se a empresa que deseja abrir não for de Prestação de Serviços, por favor, entre em contato. 

 

 

<< Voltar
ajuda-chat
ajuda-chat
ajuda-chat_open